Site conecta produtores a restaurantes dispostos a comprar alimentos “feios” (mas de qualidade)

Site conecta produtores a restaurantes dispostos a comprar alimentos “feios” (mas de qualidade)
14 jul 2016

No Brasil, startup faz delivery de frutas e verduras imperfeitas com preço abaixo do mercado. Na França, supermercados são proibidos, por lei, de jogar comida fora. Na Itália, restaurantes que doam comida aos sem-teto ganham redução de imposto.

Agora, nos EUA, mais especificamente na cidade de São Francisco, uma startup está conectando produtores a restaurantes desapegados de “padrões de beleza”. Isso porque a ideia do negócio, batizado de Cerplus, é facilitar a venda de alimentos feios, que embora estejam aptos para consumo, com sabor e qualidade garantidos, ficam encalhados no estoque por apresentarem defeitos estéticos.

Criada em novembro de 2015, por Zoe Wong, a startup já salvou mais de sete mil quilos de brócolis, morangos e abrobrinhas, entre outros alimentos, de serem jogados na lata do lixo. Funciona da seguinte maneira: o produtor/distribuidor publica, no site da iniciativa, as “mercadorias feias” que possui e, então, os compradores dizem a quantidade que precisam e quanto estão dispostos a pagar pelos produtos. Quando o negócio é fechado, Cerplus se encarrega do frete (que fica por conta do comprador).

“Nós promovemos uma espécie de outlet online para que vendedores consigam ganhar dinheiro com alimentos que iriam para o lixo”, explica Zoe. O problema não é exclusivo dos norte-americanos. Aqui no Brasil, a maioria de nós opta por frutas, verduras e legumes “bonitos” e não apenas saudáveis. Aqueles que não se enquadram no “padrão de beleza”, acabam na lata do lixo.

Promissora, a iniciativa ganhou incentivo do Echoing Green Fellow, que doa até US$ 90 mil para ajudar pequenas empresas a se estruturar e conseguir engrenar no mercado. Com o dinheiro, Zoe planeja encontrar mais compradores e vendedores para o seu sistema.

Esta é a segunda iniciativa de Zoe para reduzir o desperdício de alimentos. O primeiro, chamado Revive Foods, transforma frutas feias em geleias e marmeladas. Bacana, né? Que a moça ganhe muitos pupilos mundo afora…


Share

Jéssica Miwa
Jéssica Miwa

Mãe do Gael, Googler, jornalista e cofundadora do The Greenest Post. Acredita em pequenas ações que podem mudar o mundo.

Observações

  1. Se fizerem algo parecido no Brasil, para pessoas físicas, com a venda dos produtos por um preço mais em conta, eu certamente seria um fiel comprador…

  2. AFINAL: VOCÊ COME A BELEZA, A ESTÉTICA OU O ALIMENTO? ESTÉTICA É APENAS UMA OPÇÃO, NÃO EXISTE ALIMENTOS FEIOS E SIM ALIMENTOS SAUDÁVEIS. SE OS BRASILEIROS JOGASSEM MENOS COMIDA NO LIXO, NAO HAVERIA NINGUÉM NESTE PAÍS PASSANDO FOME.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *