SP veta projeto que acabaria com uso de animais vivos em pesquisas

SP veta projeto que acabaria com uso de animais vivos em pesquisas
02 ago 2017

Atualmente, uma porção de cursos da área da saúdeentre eles Biologia e Ciências Biomédicas – ainda utiliza animais vivos para a realização de pesquisas. Em uma tentativa de acabar com essa situação, o deputado estadual Feliciano Filho propôs um projeto de lei, o PL 706/12, que “restringe a utilização de animais em atividades de ensino no Estado de São Paulo”.

Mas eis que o governador do Estado, Geraldo Alckmin, vetou o projeto, que já havia sido aprovado pela Assembleia Legislativa paulista.

“Embora reconheça os nobres objetivos do legislador, inspirados na incensurável preocupação com o bem-estar animal e a observância de preceitos éticos no seu uso em atividades de ensino e formação profissional, vejo-me compelido a recusar sanção projeto”, disse o governador em texto publicado pelo Diário Oficial.

Um dos motivos para a recusa, teria afirmado o governador, é que a questão já está sendo endereçada pela Lei 11.794/2008, que tem abrangência federal e busca estabelecer parâmetros humanitários para o uso de bichinhos dentro de universidades para fins de ensino e pesquisa. O decreto 6.899/2009, que institui o Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal, o Concea, também foi lembrado por Alckmin.

Nos bastidores, no entanto, sabe-se que alguns reitores de universidades estaduais solicitaram o veto ao PL 706/12, bem como o Conselho Regional de Medicina Veterinária.

Em entrevista ao Globo Rural, José Antonio Visintino, diretor da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP, se mostrou a favor do uso de animais vivos em sala de aula e argumentou que não haveria como preparar os alunos para situações reais – como cirurgias, inseminação artificial e cesárias – de outra forma que não essa.

Já a também professora da universidade Julia Maria Matera, defende o projeto de Feliciano, afirmando que já existem sim outros métodos para ensino. Ela mesma utiliza uma técnica em sala de aula chamada de solução de Larssen, que usa de texturas e cores, entre outros artifícios, para imitar um animal vivo.

Enquanto não chegam a um consenso, dia após dias animais são torturados em prol da chamada “evolução” do homem. É só pra gente que isso não faz sentido?

Post escrito por Tissiane Vicentin



Redação
Redação

Também quer ver seu texto publicado no The Greenest Post? Entre em contato com a gente pelo e-mail colabore@thegreenestpost.com!

Observações

  1. Engraçado que na medicina humana, não usam pessoas vivas nas salas de aulas, por que na veterinária é necessário ? Hipócritas!
    Governador, o sr. perdeu vários eleitores com isso, eu inclusive.
    E o que fazemos ? Não dá para fazer abaixo assinado e barrar ? Não vivemos em uma democracia ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *