O projeto holandês que transforma rolos de papel higiênico usados em asfalto e isolante térmico para casas

O projeto holandês que transforma rolos de papel higiênico usados em asfalto e isolante térmico para casas
27 jul 2017

Quando você limpa o banheiro, provavelmente não está pensando em formas de promover isolamento térmico na sua casa. Mas é exatamente lá, nos rolos de papel higiênico usados, que pode estar sua solução! Um projeto holandês está extraindo celulose de resíduos produzidos por todos nós. Na planta de tratamento de Geestmerambacht, na Holanda, uma peneira industrial consegue filtrar diariamente 400 kg de celulose a partir de lixo doméstico.

A celulose, que seria incinerada no final do processo de tratamento de esgoto, é limpa e esterilizada com temperaturas muito elevadas e transformada em um material esponjoso ou em pallets. Estes são vendidos como matéria-prima para produtos como asfalto e materiais de construção.

Uma porção também é exportada para o Reino Unido, onde a Universidade Brunel está trabalhando em tecnologias para transformar a celulose em fonte de energia, garrafas bioplásticas e outros produtos.

Os holandeses descartam 180 mil toneladas de papel higiênico por ano, de acordo com as autoridades do país. Quando se trata da Europa toda, são mais de 5 milhões de toneladas anuais!

Esgoto não é um desperdício, e sim um portador de recursos valiosos: fosfatos, celulose, energia e água limpa.

Foto: Pixabay/congerdesign



Guilherme Lupino
Guilherme Lupino

Engenheiro Civil, formado pela Universidade Estadual Paulista, entusiasta em novas tecnologias e sistemas de construção sustentáveis.

Observações

  1. Depois de ver matérias sobre casas flutuantes na Holanda, xixi aproveitado para gerar energia e agora essa, cheguei a uma conclusão: A PIOR COISA QUE ACONTECEU NO BRASIL, DEPOIS DA VINDA DOS LUSITANOS, FOI QUE ELES RECHAÇARAM OS HOLANDESES QUANDO ESTES SE INSTALARAM NO PAÍS. QUE INVEJA DESSE POVO E DESSA TERRA !GOVERNO HONESTO, CAPAZ, PROPORCIONA O MELHOR A SUA SOCIEDADE…SE EU NÃO TIVESSE 63 ANOS E AINDA FILHO PRA SUSTENTAR E MINHA MULHER, IRIA PRA LÁ NEM QUE FOSSE PRA LIMPAR BANHEIROS…

  2. Lúcio Ferreira Diz: julho 29, 2017 at 6:00 am

    A história de Maurício de Nassau no Brasil nos mostra que o Nordeste brasileiro poderia ser hoje um contraponto ao Sudeste colonizado pelos europeus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *