Por que reciclar o lixo não deve ser sua primeira opção

Por que reciclar o lixo não deve ser sua primeira opção
28 nov 2014

Estou cansada de ouvir que não há problema nenhum em jogar lixo fora, porque o material será reciclado. É com essa desculpa que artigos descartáveis, embalagens desnecessárias e toneladas de papel são descartados aos montes. Mas a solução, tão adorada por muitos, não é tão simples assim: hoje, na cidade de São Paulo, por exemplo, apenas 1,8% do lixo é reciclado. Quem garante que o seu tem destino correto?

Energia e água são essenciais para o processo de reciclageme já temos sérias crises em vista para esses dois importantes recursos. Além disso, para que a alternativa se torne viável, é preciso realizar investimentos e aprimorar a coleta dos resíduos e os centros de reciclagem. E, cá entre nós, dinheiro não cai do céu.

A solução é ainda mais simples do que parece: reduzir o consumo, optar por artigos com menos embalagens e reutilizar o máximo possível. Como já prega os três Rs da sustentabilidade: primeiro devemos REDUZIR, para então REUTILIZAR e só depois pensar em RECICLAR. Parece um pouco óbvio, mas não é o que acontece.

A reflexão sobre nossos hábitos diários (e nossas reais necessidades) é sempre um bom começo. Por exemplo, faz tanto sentido assim comer Fast Food? Além de não ser saudável, vem com diversas embalagens à toa. Precisamos mesmo imprimir aquela troca de e-mails ou podemos anotar em um pedaço de papel as informações mais importantes? São pequenas mudanças que estimulam novas mudanças e nos levam a repensar e aprimorar práticas diárias.

É a mesma lógica com relação às roupas e outros objetos dispensáveis. “Não tem problema, vou doar minhas peças antigas e outra pessoa fará bom proveito” é o que eu ouço sempre que questiono a real necessidade da compra. Por trás de um produto há muito mais do que imaginamos: extração de matéria-prima, poluição de ar e água, alta demanda de energia, mão de obra (muitas vezes inadequada). A forma mais rápida de combater tudo isso é a mesma: reduzir e reutilizar para, só então, reciclar.

Apesar da equação ser simples, a prática pode ter suas dificuldades. O resultado, porém, vale a pena! Que tal aceitar o desafio da ONG e resistir às compras?

Foto: epsos/Creative Commons



Jéssica Miwa
Jéssica Miwa

Mãe do Gael, Googler, jornalista e cofundadora do The Greenest Post. Acredita em pequenas ações que podem mudar o mundo.

Observações

  1. […] Semanalmente, Lauren leva papel higiênico, casca de frutas e roupas velhas para um local onde é possível reciclar tudo. Certificar-se que seu lixo tem destino correto é muito importante – em São Paulo, por exemplo, apenas 1,8% do lixo é reciclado. […]

  2. Em casa reciclamos sempre! E reutilizamos quando conseguimos!

    O caminhão de coleta passa duas vezes por semana na minha rua, o que é ótimo! Mas percebemos o quanto temos “jogado fora”. É muito papel e plástico principalmente. E em quase tudo, na verdade, TUDO, tudo o que compramos e consumimos é de plástico…chega a ser assustador, mas tendo essa opção, e espero que seja reciclado MESMO hehehe é um alívio muito grande!

    beijãozão *

  3. […] de plástico, vidro, papel e metal já é cada vez mais popular (ainda bem!), mas e a de roupa? A reciclagem deve ser nossa última opção, mas onde levar aquelas peças muito velhas, que você já não usa mais e que não estão em […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *