Nada de tomar alopatia! Naturóloga ensina a fazer remédios caseiros para cuidar da saúde

Nada de tomar alopatia! Naturóloga ensina a fazer remédios caseiros para cuidar da saúde
08 set 2017

O Sítio Pau d’Água, vizinho da Ecovila Clareando, na cidade de Piracaia, a 90 quilômetros da capital paulista, promoverá no final de semana dos dias 30 de setembro e 1 de outubro a Oficina de Saúde Natural e Fitoterapia. Ministrado pela naturóloga e acupunturista Jímile Oliveira de Assis, o encontro visa ensinar os participantes de maneira interativa, a partir de caminhadas em meio à natureza para identificação e colheita de espécies. O valor da oficina, que inclui hospedagem, apostila digital e alimentação vegetariana, é de R$ 310. Os interessados podem se inscrever pelo e-mail projetocasaclara@gmail.com.

Jimile passou um ano pesquisando o uso de plantas para fins medicinais no sertão da Bahia. Aprendeu sobre os princípios das medicinas antroposófica, ayurvédica, chinesa macrobiótica e acredita fortemente que o uso de plantas nativas tem um poder de cura bastante efetivo.

A oficina ensina como as pessoas podem fortalecer a saúde antes de ficarem doentes por meio do uso de plantas medicinais em diversas formas: compressas, chás, xaropes, inalações, cataplasmas, escalda pés… E mais: quais os tratamentos naturais mais eficazes em caso de doenças.

Jimile aplica na sua própria vida os princípios que vai ministrar. Seus três filhos – de 4, 6 e 7 anos – nunca pisaram em um consultório médico ou tomaram qualquer tipo de remédio alopático. As crianças sempre foram tratadas com fitoterápicos da farmácia que a mãe planta no quintal. Graduada em naturologia aplicada, ela tem especialização em fitoterapia chinesa, acupuntura nas áreas de estética facial e corporal, ginecologia e obstetrícia. Sua formação ainda inclui cursos de massoterapia chinesa e acupuntura japonesa.

A oficina também vai abordar os quatro aspectos básicos da saúde natural: alimentação, respiração, pensamentos e movimento. “Cada um destes itens estão interligados e são fundamentais para que possamos ter uma vida saudável e cheia de vitalidade”, explica Jimile.

Os participantes ainda vão aprender a colher Pancs (Plantas Alimentícias Comestíveis Não Convencionais) para preparar uma das refeições da oficina. A ideia é que, ao final da imersão, estejão aptos a montar um cardápio básico para se alimentar de maneira nutritiva e revigorante no dia a dia.

Curtiu? Inscreva-se!


 


Jéssica Miwa
Jéssica Miwa

Mãe do Gael, Googler, jornalista e cofundadora do The Greenest Post. Acredita em pequenas ações que podem mudar o mundo.

Observações

  1. Manoel Fernandes Duarte Diz: setembro 9, 2017 at 4:39 pm

    Adorei esta postagem.
    Com sua licença, gostaria de apresentar meu depoimento devido a um resultado surpreendente que obitive com o tratamento fitorapico. Depois de mais de 30 anos de luta, meu VITILIGO esta pratiamente eliminado, estou muito feliz.
    Por isso, hoje sou representante da empresa que fabrica este medicamento, empresa de mato grosso do norte e da amazônia. Digo com todas as palavras, VITILIGO TEM CURA SIM, assim como muitas outras doenças do corpo, tratada com a fitoterapia, acredite.

  2. Cristóvão Pereira Diz: setembro 10, 2017 at 1:30 pm

    Só quero lembrar que pelo Brasil afora existem muitas “escolas” a ensinar fitoterapia
    sem custo algum, aqui no entorno de Brasília temos pelo menos duas, quem é da área
    sabe que o valor está muito caro, não justifica cobrar tanto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *