O supermercado social que só vende comida que iria para o lixo (pelo preço que clientes puderem pagar)

O supermercado social que só vende comida que iria para o lixo (pelo preço que clientes puderem pagar)
22 set 2016

Quilos e mais quilos de comida (boa!) sendo desperdiçados todos os dias, enquanto pessoas e mais pessoas passam fome por aí. Qual o sentido disso?

Cansados de assistir a essa situação incoerente (para dizer o mínimo), a galera do The Real Junk Food Projectiniciativa que realiza periodicamente campanhas em prol do combate ao desperdício de alimentos no Reino Unido – resolveu ir além do discurso e colocar a mão na massa.

Comandados por Adam Smith, eles abriram um supermercado social na cidade de Pudsey, que funciona no estilo Pay As You Feel (Pague O Quanto Puder, em português). Na prática, quer dizer que os consumidores vão às compras e, quando chegam ao caixa, oferecem a quantia que têm para levar os alimentos para casa.

Quem não tem dinheiro algum também pode ser cliente e, em troca dos produtos escolhidos, oferecer tempo ou habilidades ao supermercado. Tarefas não faltam! Entre outras funções, o estabelecimento precisa de faxineiros, motoristas e pessoas para dispor as mercadorias nas prateleiras.

Mas o que é vendido no supermercado afinal? De tudo um pouco! E nunca a mesma coisa! Isso porque o estabelecimento oferece comida (boa!) que seria jogada no lixo por supermercados convencionais e outros estabelecimentos que lidam com comida, como restaurantes.

A ideia está fazendo tanto sucesso em Pudsey que os idealizadores pretendem expandi-la para outras cidades do país. As próximas da lista são Sheffield e Bradford.

No Reino Unido, cerca de 600 mil toneladas (!) de comida são jogadas fora todos os anos, enquanto aproximadamente um milhão de habitantes se encontram em situação de risco e dependem de bancos de alimentos para comer.

Uma excelente ideia para combater o problema, não?

Foto: Reprodução/Facebook



Débora Spitzcovsky
Débora Spitzcovsky

Débora Spitzcovsky é jornalista, formada pela Universidade Metodista de São Paulo e, desde o início da carreira, atua na área da sustentabilidade. Atualmente, é analista de comunicação sobre o tema na Duratex

Observações

  1. Eduardo Chaves Diz: setembro 22, 2016 at 7:21 pm

    Não porque no Brasil é proibido por lei. A sra pensa que está na Inglaterra? É? Restaurantes NÃO podem doar a comida que sobra na cozinha. A prefeitura multa e a justiça condena. Aqui não é INGLATERRA senhora. Somos RICOS temos apenas complexo de inferioridade.

    • SERGIO FRANÇA Diz: setembro 23, 2016 at 9:51 am

      Toda lei demanda do povo e isto é uma novidade criada pela conscientização de não desperdiçar os recursos cada vez mais escassos. Se quiserem implantar o sistema aqui no Brasil é só mudar a lei burra.

  2. É UM SONHO! ( ESSA MEDIDA NO BRASIL )

  3. Deveria haver isso também no Brasil, aqui só criam leis corruptas e que desfavorece o mais pobre, os ricos só pensam neles, e por isso existe tanta violência, a desigualdade social e a roubalheira por parte de um governo fraudulento.

  4. AQUI NO BRASIL, TEM AS NUTRICIONISTAS QUE MANDAM JOGAR NO LIXO MAIS DA METADE DAS COMIDAS. PARA ELAS, TUDO É CONTAMINADO, TUDO É VENCIDO E É ESTRAGADO. NÃO DEIXAM REAPROVEITAR NADA. SOBRA DE COMIDA DOS RESTAURANTES, É JOGADO NO LIXO. DAÍ O MENDIGO VAI NO LIXO, REVIRA E COME SE NÃO QUISER MORRER DE FOME.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *