O homem que compra tartarugas marinhas para devolvê-las ao mar

O homem que compra tartarugas marinhas para devolvê-las ao mar
29 fev 2016

O que você faria se visse um animal silvestre, ameaçado de extinção, sendo vendido por aí? Desacreditado dos órgãos de proteção animal de Papua-Nova Guiné, país onde mora temporariamente, o minerador Arron Culling, de 53 anos, não denunciou o vendedor. Pelo contrário. Ele desembolsou mais de US$ 65 para comprar suas mercadorias – no caso, duas tartarugas marinhas que estavam expostas num mercado de comida local.

Revoltado com a atitude de Arron? Calma! Na verdade, o homem comprou os animais para devolvê-los ao seu habitat natural. Depois de garantir a mercadoria para si, ele viajou mais de cinco quilômetros em sua caminhonete até a praia mais próxima e jogou as tartarugas no mar.

Quando contou a história em sua página no Facebook, Aaron causou rebuliço nas redes sociais. O post teve mais de 93 mil compartilhamentos de gente de todo o mundo, apesar da história não ser inédita. Segundo o minerador, pelo menos outras oito tartarugas marinhas já foram compradas por ele para serem devolvidas à natureza.

Virou fã do moço? Você não é o único. Muita gente está elogiando sua atitude na internet. Outros tantos, no entanto, criticam. É que há quem defenda que pagar para tirar esses bichos do comércio não é a melhor opção para salvá-los, uma vez que acaba-se financiando o mercado de venda de animais silvestres – e, logo, incentivando os traficantes a continuar caçando esses bichos em seus habitats naturais e oferecendo-os como mercadorias a comerciantes locais. Polêmico!

E você? O que pensa a respeito da história?

Foto: Arquivo pessoal/Arron Culling



Débora Spitzcovsky
Débora Spitzcovsky

Débora Spitzcovsky é jornalista, formada pela Universidade Metodista de São Paulo e, desde o início da carreira, atua na área da sustentabilidade. Atualmente, é analista de comunicação sobre o tema na Duratex

Observações

  1. Tenho pra mim que quem diz que tal atitude “influência” o comércio nunca sequer deu um pão seco pra um cachorro na rua…O que ele fez é baseado no amor e não na razão. Mais ação e menos blá blá bla´por favor…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *