Inglaterra vai equipar mais de 800 mil casas populares com painéis solares

O Governador de São Paulo, durante entrega de casas do Programa Casa Paulista e Minha Cassa minha vida Data: 14/10/2015. Local: São Carlos/SP Foto Ciete Silvério/A2img
09 out 2017

Depois de anunciar a construção de um vilarejo capaz de gerar toda energia necessária para se manter, o Reino Unido vai além e promete escalar a tecnologia para mais de 800 mil casas populares nos próximos cinco anos. No estilo Minha Casa, Minha Vida, do governo brasileiro, o conjunto habitacional tem preço mais acessível e possui incentivos públicos para sua construção.

O investimento total será de aproximadamente 160 milhões de euros e virá da empresa holandesa Maas Capital. Por isso, os moradores não precisarão se preocupar com o custo adicional referente às placas de energia solar, que prometem zerar de uma vez por todas a conta de luz de quem mora no conjunto habitacional. Além disso, os moradores ganharão lâmpadas LED para diminuir o consumo de energia no longo prazo.

LEIA TAMBÉM: A cidade brasileira que ganhará um conjunto habitacional para famílias de baixa renda só com casas que produzem energia solar

Os primeiros beneficiários serão residentes de um abrigo de aposentados, localizado no distrito de Ealing, em Londres. Estima-se que cada casa conseguirá reduzir em R$ 1 mil/ano a conta de luz, de acordo com o Departamento Internacional de Comércio.

Já a empresa Solarplicity, responsável pela instalação dos 800 mil painéis solares, prevê a criação de mil postos de trabalho graças ao projeto. A ideia é empregar veteranos militares na iniciativa. Bacana, não?

Foto: CDHU/Ciete Silvério



Jéssica Miwa
Jéssica Miwa

Mãe do Gael, Googler, jornalista e cofundadora do The Greenest Post. Acredita em pequenas ações que podem mudar o mundo.

Observações

  1. jose Ananias Diz: outubro 10, 2017 at 6:38 pm

    MUITO BOA A REPORTAGEM, O Brasil deveria incentivar a energia fotovoltaica.
    Mas a ilustração não está correta, estas placas são de aquecedores solares, não de energia solar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *