A casa de reabilitação em SP que usa uma horta orgânica para tratar dependentes químicos

A casa de reabilitação em SP que usa uma horta orgânica para tratar dependentes químicos
30 abr 2016

Quando uma horta é mais do que uma simples horta… Em Lorena, interior de São Paulo, existe uma casa de reabilitação que optou por um caminho diferente. Uma grande horta orgânica é usada como tratamento para os moradores da Comunidade Terapêutica Efraim.

O projeto Fênix – iniciado em parceria com o Enactus da Escola de Engenharia de Lorena – vem transformando a vida de muitos dependentes químicos. O objetivo principal é fomentar o empreendedorismo a partir da gestão, produção e venda das hortaliças ali plantadas, mas os resultados do trabalho vão muito além.

A reconexão com a terra e com os ciclos naturais tem um enorme potencial de cura. Muito maior do que qualquer remédio tarja preta. Se estamos falando de “reabilitação”, nada melhor do que algo que toque profundamente a existência de um ser. Que volte a dar sentido a sua vida. Melhor ainda quando esse “algo” está conectado com a realidade do aqui-agora, como é o caso da horta.

 

 

Agradecemos por nos receber com sorrisos!

5

Nesse belo encontro, falamos com o Pardal, cofundador do projeto O Despertar do Gigante, e com o seu Maurício, membro mais atuante na manutenção do espaço da horta. Assista abaixo!


Conheça o PorQueNão? no Facebook, Instagram e YouTube!

Projeto do casal Viviane Noda e Guto Zorello. Uma expedição pelo Brasil a fim de disseminar alternativas para um futuro mais harmônico.


PorQueNão?
PorQueNão?

PorQueNão buscar e compartilhar conhecimentos a fim de repensarmos nosso modo de vida? Viajamos o Brasil conectando pessoas que fazem e pessoas que buscam

Observações

  1. Se todos nós fizermos uma pouquinho que seja pelo nosso próximo o mundo seria bem melhor, Deus seja louvado e abençoe a todos

  2. Stella Maris Mendonça Diz: junho 6, 2016 at 1:04 pm

    Maravilha! Inclui a novidade em minha coluna de boas notícias, Bem Dita! com créditos, claro!
    Beijos para vocês, Stella Maris.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *