A fazenda que fica no meio do deserto e cultiva orgânicos usando água do mar

A fazenda que fica no meio do deserto e cultiva orgânicos usando água do mar
22 nov 2016

Sim, uma plantação de alimentos orgânicos no meio do deserto! Nada convencional, é verdade. Mas extremamente eficiente: ela fica no sul da Austrália e (acredite!) produz cerca de 17 mil toneladas de tomates orgânicos por ano.

A “mágica” é feita pela empresa Sundrop, que desenvolveu um sistema que utiliza apenas água do mar e energia solar para cultivar os alimentos.

A energia é produzida localmente, por meio de 23 mil espelhos estrategicamente posicionados para refletir a luz do sol até uma torre de geração de eletricidade. Já a água do mar é bombeada do Golfo de Spencer, que fica a dois quilômetros do local, até uma usina de dessalinização, que remove o sal da água, deixando-a ideal para irrigação dos alimentos.

Os tomates, por sua vez, são cultivados dentro de estufa, por meio de um sistema hidropônico, que dispensa o uso do solo do deserto no processo de plantio. Confira, no vídeo abaixo, como o sistema funciona!

O investimento não é dos menores: a Sundrop gastou US$ 200 milhões para colocar essa fazenda em funcionamento no meio do deserto australiano. Ainda assim, a empresa aposta que se trata de uma alternativa e tanto para cultivar alimentos em lugares até então considerados inóspitos. Tanto que pretende construir novas fazendas na Austrália, nos EUA e em Portugal. Interessante, não?

Foto: Divulgação/Sundrop



Débora Spitzcovsky
Débora Spitzcovsky

Débora Spitzcovsky é jornalista, formada pela Universidade Metodista de São Paulo e, desde o início da carreira, atua na área da sustentabilidade. Atualmente, é analista de comunicação sobre o tema na Duratex

Observações

  1. Luiz Fernando Costa Ferereira Diz: novembro 22, 2016 at 8:35 pm

    Muito interessante.
    E ainda dizem que não se tem solução para a fome e a falta de agua para o futuro.

  2. Luiz Fernando Costa Ferereira Diz: novembro 22, 2016 at 8:38 pm

    Muito interessante.
    E ainda dizem que não há soluçao para a falta de água e para a fome, no futuro do nosso mundo.

  3. Ronald Weiss Diz: novembro 23, 2016 at 4:53 am

    Tem solução sim, sou Geologo e sei disso. Não tem solução em um Pais politiqueiro como o Brazil.Seca no Nordeste e ulto negocio para os politicos. Tem lugares na Australia que faz 10 que não chove e tem fartura. Em Israel a mesma coisa. A Seca nordestina e uma industria.

  4. Investimento muito alto pela quantidade de tomate que produz… Resta saber quem vai pagar pelo custo destes tomates… Sem falar que todo este sistema necessita de manutenção especializada e cara, ou seja, tomates para os muito ricos. Vale a idéia, muito interessante…

  5. IVAN TAVARES Diz: novembro 23, 2016 at 3:20 pm

    Uma pena que essas alternativas ainda sejam muito caras, em comparação as usuais (e degradantes). Acredito que o alto preço seja função da falta de interesse e de investimentos e tecnologias que viabilize a solução. Mas, acredito que, até por falta de opção, essas alternativas se tornarão, cada vez mais, essenciais ao nosso convívio nesse planeta. Tomara…

  6. Muito bonito, só em paises ricos e com investimento a fundo perdido.

  7. Que me perdoem os desavisados tecnologicos, pois as grandes ideias aliadas a simplicidade, observação. Não de tecnocratas e tecnologias complexas e carissimas. Por outro lado os maiores inventores da humanidade, já nasceram prontos e sempre inventaram coisas simples, porem os monopolios das industrias, são os que tudo encarecem em nossas vidas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *