A empresa que produz móveis usando apenas madeira reciclada (e só emprega moradores de rua)

A empresa que produz móveis usando apenas madeira reciclada (e só emprega moradores de rua)
09 set 2016

Princípios. É disso que é feito o negócio de Brian Preston, fundador da empresa Lamon Luther. A marca vende móveis em Geórgia, nos EUA, que se destacam pelo fato de serem feitos apenas com madeira reciclada e pelas mãos de moradores em situação de rua.

Sim, isso mesmo. Para ser contratado pela empresa é preciso ter no currículo a difícil realidade de morar na rua – e a vontade de sair dela (que, acredite, é muito forte na maioria das pessoas que se encontram nessa situação).

Segundo último censo feito pela entidade National Alliance to End Homelessness, cerca de 565 mil pessoas moram nas ruas dos EUA atualmente. Dessas, pelo menos 75% gostariam de trabalhar, caso tivessem a oportunidade.

Oportunidade essa que é dada por Preston. Criado em 2012, o negócio social do empreendedor já soma mais de 78 mil horas de trabalho oferecidas a moradores em situação de rua e a reciclagem de 108 toneladas de madeira – que seriam jogadas no lixo, sem grandes cerimônias.

A empresa ainda oferece moradia, roupa, comida e artigos de higiene aos sem-teto nos primeiros meses de emprego, a fim de ajudá-los a se reerguer. O único custo dos funcionários é com uma pequena ajuda de custo semanal, que é guardada pela empresa para ajudar os próximos colaboradores, que ainda vivem na rua.

Dessa forma, os sem-teto vão, pouco a pouco, recuperando a capacidade de lidar com o dinheiro e, ao mesmo tempo, sentem-se ainda mais motivados por estar ajudando, por meio do seu trabalho, a recuperar pessoas que se encontram na mesma situação em que se encontravam.

Um modelo de negócio e tanto, não? Assista, abaixo, ao vídeo da iniciativa para saber mais sobre a história de Preston e da Lamon Luther.

Foto: Divulgação



Débora Spitzcovsky
Débora Spitzcovsky

Débora Spitzcovsky é jornalista, formada pela Universidade Metodista de São Paulo e, desde o início da carreira, atua na área da sustentabilidade. Atualmente, é analista de comunicação sobre o tema na Duratex

Observações

  1. Ricardo Hanna Diz: setembro 11, 2016 at 1:30 pm

    Isso, sim é ajuda. Esmolas só compram a dignidade de quem as recebe.

  2. que iniciativa maravilhosa.. Sempre Deus levanta alguém isso é muito bom. Parabéns que Deus os abençoe.

  3. Fabio Hnerique Celso Diz: setembro 21, 2016 at 1:59 pm

    experimente fazer isso no Brasil, as leis trabalhistas não permitem .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *