O mercado em Boston que vende apenas alimentos locais e da estação

O mercado em Boston que vende apenas alimentos locais e da estação
08 jul 2015

Os produtos que consumimos nos supermercados convencionais muitas vezes atravessam o mundo para chegar em nossas mesas. É uma pegada e tanto! Enquanto isso, existe (ou poderia existir) um mercado local estruturado que merece incentivo da comunidade. Tratam-se de agricultores próximos a nós, que trabalham muito para garantir comida saudável e fresca em todas as épocas do ano.

Decidido a prestigiar esse grupo de trabalhadores sustentáveis, estabelecimento em Boston fechou as portas para o trading internacional e passou a oferecer apenas alimentos frescos e locais para os clientes. Nada de frutas, verduras e legumes que não são da estação ou que são produzidos em outra região.

“No local, consumidores podem experimentar, comprar e entender os alimentos, desde como são cultivados até valores nutricionais e impacto do cultivo para o meio ambiente”, explica o site da iniciativa. Além disso, workshops de cozinha são oferecidos, inclusive para pessoas financeiramente menos privilegiadas, que ganham bolsas e descontos.

Este é o primeiro verão americano que a ideia é colocada em prática. Assim que o calor chegar de vez, 40 vendedores locais colocarão seus produtos à disposição no centro da cidade. Será possível encontrar frutas, legumes, verduras, carne, peixe, mel, queijo, leite, sorvete, vinho e flores.

O maior desafio do mercado é manter-se abastecido durante o inverno – que, ao contrário do que acontece aqui no Brasil, não é muito produtivo! É verdade que ainda há muitas pessoas que não enxergam vantagem em resgatar hábitos alimentares antigos, que respeitam o ciclo natural dos alimentos e das estações do ano, mas a procura por locais que se preocupam com a qualidade do produto oferecido só cresce. Você ia curtir um mercado assim no Brasil?


Share

Jéssica Miwa
Jéssica Miwa

Mãe do Gael, Googler, jornalista e cofundadora do The Greenest Post. Acredita em pequenas ações que podem mudar o mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *