Desmatamento na Amazônia foi sete vezes maior do que a área do RJ em 2016

Desmatamento na Amazônia foi sete vezes maior do que a área do RJ em 2016
06 mar 2017

É praticamente impossível não ficar admirado com a imponência da floresta Amazônica. Seja pelo alto, pela terra ou pela água, a gigante verde ainda impressiona com seus 6,9 milhões de quilômetros quadrados. São aproximadamente 40 mil espécies de plantas, mais de 400 de mamíferos e quase 1.300 de pássaros. Isso sem falar nos milhões de insetos.

Entretanto, essa gigante da biodiversidade está correndo sérios riscos – e não é de hoje. Segundo o Greenpeace, nos últimos 40 anos a floresta já perdeu 18% de sua área e, infelizmente, o número não para de subir. No final de 2016, o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) divulgou relatório sobre o desmatamento na região. O resultado foi o pior desde 2008, com aumento de 29% em relação a 2015.

A floresta perdeu 7.989 km² de área verde. Isso equivale a 1,14 milhão de campos de futebol. É sete vezes o tamanho da cidade do Rio de Janeiro (1.255 km²) ou dez vezes a área de Nova York (789 km²). Foram 451 milhões de árvores derrubadas, o que corresponde à população de Brasil, Alemanha e Rússia juntas. Se cada uma dessas árvores fosse enfileirada, poderíamos ir e voltar da lua 23 vezes. E todo esse estrago em apenas um ano. Deu para sentir o tamanho do drama?

“O impacto do desmatamento é muito grande. É uma perda em termos de biodiversidade e recursos naturais. Você propicia processos de erosão. Os danos são muito grandes”, explica Leonardo Sobral, gerente de Certificação Florestal do Imaflora.

Em 2015, o Brasil assinou o Acordo de Paris, documento que visa reduzir a emissão de gases de efeito estufa na atmosfera. E esse aumento no desmatamento preocupa os avanços do país com relação a isso, já que foram liberadas aproximadamente 586 milhões de toneladas de gás carbônico. Para onde estamos indo afinal?


Share

Web Rádio Água
Web Rádio Água

A Web Rádio Água é uma ferramenta de comunicação do Centro Internacional de Hidroinformática (CIH), um centro de categoria 2 do Programa Hidrológico Internacional da UNESCO. A WRA opera na produção e difusão de conteúdos em áudio (técnicos e comunitários) dentro das temáticas “Água, Energia e Sustentabilidade”. O projeto dedica-se a ser um espaço colaborativo que possibilita a troca de informações e experiências, para que, a partir da mobilização social, sejam adotadas boas práticas relacionadas à temática água como recurso natural em diferentes cenários da vida.

Observações

  1. sergio perez Diz: março 7, 2017 at 7:57 pm

    Bao noite sabe nao pensa que e pobre que esta desmatando o amazonas nao viu, pode ter certeza que 99% sao milionarios e bandidos que estao comandando este Pais

  2. QUANDO NÃO SOBRAR NADA…APENAS UM DESERTO…MESMO ASSIM…O SER HUMANO VAI CONTINUAR DESTRUINDO TUDO…PRAGA, INFELIZMENTE O SER HUMANO É A VERDADEIRA PRAGA MORTAL DO UNIVERSO.

  3. Cadê o MPU??? Cadê o IBAMA???
    Ninguém age???

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *