Concurso vai escolher nome da 1ª onça-pintada reproduzida em cativeiro no PR para evitar extinção da espécie

Concurso vai escolher nome da 1ª onça-pintada reproduzida em cativeiro no PR para evitar extinção da espécie
20 abr 2017

Uma filhote de onça-pintada (Panthera onca), nascida no Refúgio Biológico Bela Vista, em Foz do Iguaçu, no Paraná, foi solta em espaço aberto pela primeira vez e está se adaptando ao novo território. No local, a pequena tem condições para continuar o seu bom desenvolvimento em um ambiente o mais próximo possível do natural, podendo escalar árvores, aprender a nadar e a caçar e seguir os passos da mãe.

O nascimento da oncinha foi o primeiro caso bem-sucedido de reprodução da espécie em cativeiro no Refúgio, após 14 anos de tentativas. De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, devido à caça predatória e à perda e degradação de habitat, há somente 200 exemplares do mamífero em toda a Mata Atlântica, tornando a reprodução em cativeiro uma opção de “banco genético” para manter salva a espécie.

O médico-veterinário Wanderlei de Moraes, da Divisão de Áreas Protegidas da Itaipu, ressalta que o mais importante é manter as áreas naturais preservadas, garantindo a reprodução de forma espontânea. Entretanto, o processo é necessário para que a população de cativeiro seja utilizada para melhorar a qualidade genética da população de vida livre, garantindo a preservação dos felinos.

A família de “gatinhos” poderá ser vista no recinto instalado no circuito turístico do local. No entanto, haverá um revezamento estratégico no uso do espaço, visando a segurança da filhote. A mãe e a bebê vão ocupar o lugar alguns dias da semana. Nos outros, o espaço fica para o pai – sozinho.

“Não podemos colocá-los juntos porque o pai não reconhece a filhote como sendo sua filha. Ele pode atacá-la e até matá-la. Isso também acontece na natureza. Nós temos que respeitar os instintos naturais: a mãe cuida do filhote em um território separado do território do macho”, explicou Moraes.

Só depois de um ano e meio de adaptação é que papai e filhinha poderão dividir o mesmo espaço. A bebê onça – ainda sem nome definido – é resultado do acasalamento do papai Valente, que já é morador antigo do local, e da mamãe Nena, que foi doada pelo Criadouro Científico Instituto Onça-Pintada, localizado em Goiás.

Em comemoração aos seis meses da filhote, a Itaipu irá lançar um concurso para escolha do seu nome. Alguém aí tem alguma sugestão?

Foto: Divulgação



Web Rádio Água
Web Rádio Água

A Web Rádio Água é uma ferramenta de comunicação do Centro Internacional de Hidroinformática (CIH), um centro de categoria 2 do Programa Hidrológico Internacional da UNESCO. A WRA opera na produção e difusão de conteúdos em áudio (técnicos e comunitários) dentro das temáticas “Água, Energia e Sustentabilidade”. O projeto dedica-se a ser um espaço colaborativo que possibilita a troca de informações e experiências, para que, a partir da mobilização social, sejam adotadas boas práticas relacionadas à temática água como recurso natural em diferentes cenários da vida.

Observações

  1. JOSE DE RIBAMAR SILVA Diz: maio 4, 2017 at 7:11 am

    Bacana a realização desse concurso e a minha sugestão é que o nome da oncinha seja SAVANA.

  2. O nome dela deve ser Curupira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *