Coletor menstrual, eis a questão

Coletor menstrual, eis a questão
21 out 2015

Estou a mais de ano pra escrever sobre isso, mas sempre fico receosa pelos comentários preconceituosos. Tudo bem. Agora vai!

Há dois anos descobri a existência do coletor menstrual. Decidi então conversar sobre o assunto com as pessoas próximas a mim; a reação foi predominantemente negativa. “Aff” , “Que nojo!”, e por aí vai.

Um certo dia estávamos entrevistando o pessoal da Morada da Floresta, onde vi na prateleira um coletor olhando pra mim. Não resisti. Comprei.


O primeiro pensamento foi: “não vou contar pra ninguém ainda e me fazer de cobaia para ter argumentos consistentes”. Foi o que fiz. A primeira vez que eu usei, achei estranho. Não era possível que era pra sentir aquele negócio enquanto eu andava, sentava, vivia. Tirei e coloquei mais uma vez [musiquinha de salvação]. Realmente foi uma sensação de alívio. Na maior parte do tempo eu nem lembrava que estava menstruada.

O próximo passo foi contar prazamiga! Eu fiquei muito empolgada com o ótimo experimento e, para minha surpresa, acabei fazendo uma onda a minha volta. Hoje quase todas as minhas amigas também usam. Obrigada por acreditarem em mim, lindinhas! <3

Como é uma coisa “nova”, tenho visto muitas dúvidas à respeito. Então decidi fazer um passo-a-passo para incentivá-las e quebrar alguns tabus:

1. Primeiro de tudo, não tem nada de nojento. Acho que ninguém quer ficar brincando com sangue, né?

2. Existem muitas marcas hoje em dia, mas não posso recomendar porque não experimentei todas.

3. Quando for comprar, verifique o tamanho de acordo com seu perfil. Normalmente o tamanho B é recomendado para mulheres que nunca tiveram filho ou com menos de 30 anos, já o A, para mulheres com mais de 30 anos ou que já tiveram filhos.

4. Na hora de colocar, dobre o coletor até ele formar um “V” e segure-o no meio. Vá colocando como se fosse um o.b Formato "V"(meninas, é muito importante que cada uma conheça seu corpo). Mesmo para quem nunca usou absorvente interno, não tem problema. É só inserir o coletor de acordo com o “caminho” do seu canal. Não existe posição exata, aliás cada mulher é de um jeito. A dica é o cabinho, que não pode ficar muito lá para dentro para poder tirar;  também não pode ficar muito pra fora. Normalmente eu deixo onde eu posso alcançar com facilidade para tirar, lembrando que se estiver na posição certa, você não o sentirá (algumas mulheres até esquecem que estão menstruadas as vezes. Tome cuidado com isso também). Quando você se achar, a probabilidade de vazar é quase nula.

5. Pode ser difícil no começo, mas não se assuste e nem desista tão fácil. Tente sentada, deitada, em outras posições… Já ouvi de tudo! Na minha opinião, é melhor sentada na privada mesmo.

6. Para tirar é só puxar o cabinho com o dedo indicador e o dedão. Como prefiro tirar na privada, já elimino o líquido no vaso mesmo e lavo em seguida para poder usar de novo. O período de troca varia, mas dá para durar bastante mesmo, tem mulheres que trocam de 12 em 12 horas.

7. Ao final do ciclo menstrual, sempre ferva para higienizar e guardar de forma correta. Não use panelas de alumínio nem de teflon, pois elas soltam substâncias metálicas que podem danificar o silicone.

Porque usar?

  • Durante a vida, uma mulher usa, em média, mais de 10 mil absorventes, seja ele externo ou interno. O externo leva 100 anos para se degradar na natureza, enquanto o interno leva até um ano.
  • Por ano, a mulher gasta cerca de R$ 100 com absorventes. Em 10 anos, ela terá gasto R$ 1 mil. Então a economia é no mínimo de R$ 915 em dez anos.
  • É mais confortável.
  • Aumenta o autoconhecimento corporal.
  • Muito mais prático.
  • Não fica com o odor forte do absorvente normal.
  • A probabilidade de vazar é muuuito menor.
  • 60% das mulheres relataram melhora da candidíase.

Veja mais dicas da Vivi!

Foto: Michelle Tribe/Creative Commons


PorQueNão?
PorQueNão?

PorQueNão buscar e compartilhar conhecimentos a fim de repensarmos nosso modo de vida? Viajamos o Brasil conectando pessoas que fazem e pessoas que buscam

Observações

  1. […] higiene e também nos cuidados pessoais. Cristal, por exemplo, trocou o absorvente pelos coletores menstruais, substituiu o shampoo e o condicionador por um método natural de lavar os cabelos e passou a […]

  2. Bianca Palácio Dolasevic Diz: dezembro 17, 2015 at 1:02 am

    Amo! Não troco por nada! Colet(AM)or menstrual!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *