Cidade brasileira ganha primeiro açougue vegano da América Latina (que ainda vende a granel)

Cidade brasileira ganha primeiro açougue vegano da América Latina (que ainda vende a granel)
24 fev 2016

Há não muito tempo, o The Greenest Post contou sobre o primeiro açougue vegano das Américas, que fica no estado de Minnesota, nos Estados Unidos. A novidade agora é ainda melhor (e mais perto!): Curitiba inaugurou o primeiro açougue vegano brasileiro. A marca já existente, VegAninha, abriu sua loja física no bairro Abranches.

O local, escolhido a dedo por conta da proximidade com a natureza, passou por algumas reformas — seguindo princípios da bioconstrução e usando técnicas de permacultura. Além de reaproveitar a água da chuva e ter um espaço para cultivo de horta, o estabelecimento teve seu telhado refeito para conseguir captar energia solar futuramente.

O casal responsável pelo empório é Andrey Sanson e Ana Luiza Couto. Conhecidos na região por conta da marca e do Bazar Vegano do bairro Boa Vista, os proprietários preparam bifes, linguiças e salsichas vegetais. Tudo feito a mão, com muita destreza e com o mínimo de impacto ambiental possível.

Há quatro anos no mercado de pedidos sob encomenda, o casal afirma que, ao ter um ponto físico e rotatividade da clientela, ficou mais fácil inovar e criar produtos novos. A ideia é oferecer ao público um local onde podem ser encontrados “artigos de pequenos produtores artesanais e locais, que não exploram os animais e que são vendidos a granel”, conta Andrey. O local fornece embalagens de papel, mas pessoas que preferem levar embalagens retornáveis de casa também são mais que bem-vindas!

Além do mercadinho, que também oferece produtos de limpeza e de higiene pessoal, há um espaço com mesas à disposição para quem quer passar o tempo e consumir no local. Pizzas, quiches, sanduíches com carnes vegetais e beliscos de boteco também fazem parte do cardápio. Hmmm…



Jéssica Miwa
Jéssica Miwa

Mãe do Gael, Googler, jornalista e cofundadora do The Greenest Post. Acredita em pequenas ações que podem mudar o mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *