Chega de comercializar vidas! Califórnia proíbe venda de animais nascidos em criadouros

Chega de comercializar vidas! Califórnia proíbe venda de animais nascidos em criadouros
03 out 2017

6 milhões. Esse é o número de animais que, todos os anos, dão entrada em abrigos nos EUA. Com tantos bichinhos precisando de um lar, qual o sentido de manter criadouros que procriam cães, gatos e coelhos exclusivamente para vendê-los? Isso sem levar em conta as condições precárias a que esses animais são submetidos.

No Estado da Califórnia, o governo resolveu dar um basta a tamanha contradição e aprovou por unanimidade lei que proíbe a venda de animais nascidos em criadouros. A partir de agora, para estar disponível para venda ou adoção em lojas e canis, os gatos, cachorros e coelhos precisam ter vindo de abrigos ou organizações dedicadas ao resgate de animais abandonados.

Ou seja, é preciso provar por meio de Certificado de Origem que os animais, de fato, estão precisando de um lar. E mais: além de possuir tal documentação para cada um dos bichinhos, as lojas ainda são obrigadas por lei a informar aos clientes, em local visível, o nome da entidade de onde cada bichinho veio.

Por enquanto, os estabelecimentos comerciais estão apenas sendo orientados a cumprir a nova medida. Mas, a partir de janeiro de 2019, ela começa a valer de verdade e aqueles que descumprirem a lei terão de pagar US$ 500 (mais de R$ 1.500) por animal vendido irregularmente.

Melhor ainda seria se a lei proibisse qualquer tipo de venda de bichos e incentivasse apenas a adoção, uma vez que se tratam de SERES VIVOS e não PRODUTOS que podem ser comercializados. Mas… um passo de cada vez!

Foto: Tseung Kwan O, Hong Kong/Creative Commons



Débora Spitzcovsky
Débora Spitzcovsky

Débora Spitzcovsky é jornalista, formada pela Universidade Metodista de São Paulo e, desde o início da carreira, atua na área da sustentabilidade. Atualmente, é analista de comunicação sobre o tema na Duratex

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *