Chefs do mundo todo vão cozinhar para os sem-teto do RJ com comida excedente da Vila Olímpica

Chefs do mundo todo vão cozinhar para os sem-teto do RJ com comida excedente da Vila Olímpica
09 ago 2016

120 caminhões lotados de comida chegam à Vila Olímpica, no Rio de Janeiro, todos os dias para alimentar os atletas que estão participando das Olimpíadas. Destes, pelo menos 20 desembarcam caixas que não são sequer abertas. Quem conta é o chef David Hertz, que para combater o desperdício de comida (boa!), lança o projeto Refettorio Gastromotiva, juntamente com o chef Massimo Bottura.

A iniciativa convidou cerca de 30 renomados chefs de todo o mundo para cozinhar para os moradores em situação de rua da cidade do Rio de Janeiro durante o evento esportivo. O cardápio? Será uma surpresa a cada dia. Os chefs vão usar os alimentos excedentes da Vila Olímpica para montar o menu.

As refeições serão servidas no próprio restaurante do Refettorio Gastromotiva, estabelecido no centro do Rio de Janeiro, na Lapa. A ideia é que os sem-teto vivenciem a experiência (que muitos há tempos não têm) de sentar à mesa, com copos, pratos, talheres e guardanapos, e se deliciar com uma gostosa refeição, servida em um ambiente acolhedor.

O projeto prevê servir milhares de refeições até 18 de setembro, quando terminam os Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiroe também a oferta de alimentos. O espaço do Refettorio Gastromotiva, no entanto, não será desmontado. Pelo contrário: ele será transformado em uma escola de capacitação gastronômica para pessoas em risco de vulnerabilidade social, deixando um verdadeiro legado das Olimpíadas para o Rio de Janeiro. Aí sim! 🙂

Foto: Divulgação/Refettorio Gastromotiva



Débora Spitzcovsky
Débora Spitzcovsky

Débora Spitzcovsky é jornalista, formada pela Universidade Metodista de São Paulo e, desde o início da carreira, atua na área da sustentabilidade. Atualmente, é analista de comunicação sobre o tema na Duratex

Observações

  1. Oba !! David sempre inovando. Refeitório Gastromotiva!! Você e sua equipe e mais todos esses parceiros internacionais… merecem uma grande medalha olímpica…e de quebra aproveito mandar também um grande abraço a mãe do meu neto..que faz parte do seu time. Sorte, sempre e grata por dar um pequeno alívio a esses nossos irmãos, que por alguma razões inexplicáveis, são esquecidos pelas nossas autoridades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *