Casas mais baratas! Brasileira desenvolve técnica que produz tijolo a partir de lixo

Casas mais baratas! Brasileira desenvolve técnica que produz tijolo a partir de lixo
21 nov 2014

A construção civil é o ramo mais poluidor do mundo: estima-se que cerca de 40% de toda emissão global tem ligação com a atividade. Por isso, é importante sempre buscar alternativas para suprir nossas necessidades. Já noticiamos aqui uma casa feita de pneus e latas de alumínio e um telhado feito com sete mil garrafas pet.

Pesquisadora da Universidade de Brasília, a brasileira Elisandra de Medeiros pesquisou para sua tese de doutorado uma maneira de reutilizar resíduos sólidos em prol da construção civil. Resultado? Lodo proveniente do tratamento de água, casca de arroz e cinzas da queima de lenha são materiais perfeitos para a produção de tijolos! Quem diria?!

Seu trabalho começou com a busca de materiais de fácil acesso para a produção do tijolo sustentável. Afinal, não faz sentido desenvolver uma metodologia maravilhosa para reaproveitar resíduos que não são da região, pois a viabilidade local seria prejudicada. O principal objetivo do trabalho final era transformar o projeto em realidade com apoio de alguma empresa brasiliense.

Com as matérias-primas em mãos, a pesquisadora encontrou a melhor maneira de utilizá-la e afirma que pode ser economicamente viável: “É muito provável que esses blocos tenham uma queda de preço considerável no mercado, caso esses resíduos sejam utilizados. Na verdade, esses resíduos seriam doados (…) Haveria uma redução de preços e um bem social para a natureza”, explicou Elisandra à Agência Brasil.

O estudo ainda conclui que revestimentos cerâmicos, que têm argila na composição, também podem ser beneficiados com a técnica.

Já pensou morar em uma casa (barata!) feita de lixo?

Foto: ricardo_ferreira/Creative Commons


 

 

Share

Jéssica Miwa
Jéssica Miwa

Mãe do Gael, Googler, jornalista e cofundadora do The Greenest Post. Acredita em pequenas ações que podem mudar o mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *