Brasil reconhece alimentação vegana como ‘saudável’

Brasil reconhece alimentação vegana como ‘saudável’
08 dez 2014

Mais um passo rumo à quebra de preconceitos! O Ministério da Saúde acaba de lançar a nova versão do Guia Alimentar Para a População Brasileira e, pela primeira vez, reconhece a alimentação vegana como uma opção saudável.

Com base em pesquisas oficiais, a publicação mudou completamente o tom de sua última versão, impressa em 2006, e trata de forma natural a dieta que não inclui alimentos de origem animal. Segundo o guia, o consumo de carnes, laticínios e ovos não é necessário para se ter uma alimentação saudável.

“(No entanto) A restrição de qualquer alimento na dieta obriga que se tenha maior atenção na escolha da combinação dos demais alimentos que farão parte da alimentação. Quanto mais restrições, maior a necessidade de atenção e, eventualmente, do acompanhamento por um nutricionista”, alerta o guia.

A publicação ainda recomenda a diminuição do consumo de carne para evitar problemas de saúde – como obesidade e doenças do coração – e, também, para diminuir a pressão sobre o meio ambiente. “A diminuição da demanda por alimentos de origem animal reduz notavelmente as emissões de gases de efeito estufa (responsáveis pelo aquecimento do planeta), além de diminuir o desmatamento decorrente da criação de novas áreas de pastagens e o uso intenso de água”, diz o manual.

O Guia Alimentar Para a População Brasileira será distribuído, gratuitamente, em escolas e hospitais de todo o país. A publicação representa a posição oficial do governo quanto à alimentação dos brasileiros e é usada como referência pelos profissionais da área da saúde – entre eles, médicos e nutricionistas.

A versão online pode ser baixada, gratuitamente, aqui. Curtiu a novidade? 

Foto: Reprodução/Guia Alimentar Para a População Brasileira


Share

Débora Spitzcovsky
Débora Spitzcovsky

Débora Spitzcovsky é jornalista, formada pela Universidade Metodista de São Paulo e, desde o início da carreira, atua na área da sustentabilidade. Atualmente, é analista de comunicação sobre o tema na Duratex

Observações

  1. Elizabete Salsa Diz: março 18, 2015 at 12:49 pm

    Discordo do comentário que menciona o “fato” que a dieta vegetarina estrita é restrita. Primeiro porque animais não são alimentos, são seres sencientes que são explorados e mortos desde sempre por vários motivos, em certas ocasiões históricas e regionais, por necessidade de sobrevivência, porém, nunca foi e nunca será alimento. O que acontece hoje é um verdadeiro holocausto animal sem necessidade. Segundo, porque a dieta vegetariana estrita é inclusiva e riquíssima em alimentos e muito diversificada: cereais integrais de todos os tipos, legumes, verduras, frutas, castanhas, cogumelos, enfim, muito pelo contrario, quem opta por carnes na alimentação normalmente fica doente por falta de nutrientes porque excluem frutas, legumes e verduras.

  2. Srs. e Sras, desde o início do mundo, a natureza é sábia. Um ser come o outro. Já imaginou um leão comendo alface? Um urubu comento amendoim? TUDO BEM QUE O ELEFANTE ADORA. A carne faz PARTE DA DIETA ALIMENTAR DE QUASE TODO SER VIVO DESDE QUE O MUNDO É MUNDO. OPTAR POR OUTRO SISTEMA ALIMENTAR É JUSTO, MAS NÃO É ÚNICO, SE NÃO, DEUS CRIOU TUDO ERRADO, QUASE TODOS OS ANIMAIS, INCLUSIVE NÓS. E AINDA TEM O CONTROLE POPULACIONAL.
    UM ABRAÇO, PENSE NISSO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *