Na Austrália, população pega ônibus DE GRAÇA graças à energia solar

Na Austrália, população pega ônibus DE GRAÇA graças à energia solar
17 fev 2016

Enquanto muitos brasileiros sonham com o transporte público gratuito (de qualidade, por favor!), na Austrália a população já usufrui do benefício. O país é o primeiro do mundo a colocar nas ruas ônibus movidos à energia solar, que garantem tarifa zero para o serviço.

É que, sem gastos com combustíveis fósseis ou energia elétrica para o funcionamento da frota, fica muito mais fácil oferecer transporte gratuito para a população.

A ideia foi da empresa Adelaide Connector Bus, uma das maiores companhias de transporte público da cidade de Adelaide. É lá que estão rodando os primeiros ônibus solares da Austrália, equipados no teto com placas fotovoltaicas fornecidas pelo próprio Estado.

Com forte incidência solar, as placas produzem praticamente toda a energia necessária para a locomoção dos ônibus. Os outros 30% vêm dos freios dos veículos, que possuem sistema de frenagem capaz de transformar o impacto dos freios no asfalto em eletricidade.

Desde que começou a rodar, em fevereiro, a frota já percorreu mais de 60 mil quilômetros pelas ruas de Adelaide e evitou a queima de 14 mil litros de diesel na atmosfera.

Curtiu? Então, pega essa: além de gratuitos, os ônibus solares possuem wi-fi e ar-condicionado. É ou não é o sonho de qualquer passageiro? Na Austrália, já virou realidade e poderia virar também aqui no Brasil, um dos países com maior incidência solar do mundo. Não ia ser demais?

Veja no vídeo, abaixo, mais informações sobre o ônibus solar, batizado de Tindo.

Share

Débora Spitzcovsky
Débora Spitzcovsky

Débora Spitzcovsky é jornalista, formada pela Universidade Metodista de São Paulo e, desde o início da carreira, atua na área da sustentabilidade. Atualmente, é analista de comunicação sobre o tema na Duratex

Observações

  1. Infelizmente, não existe “grátis” ou seja, transporte público gratuito a menos que o transporte seja autônomo e ande sozinho sem motorista e mesmo assim existe a manutenção do ônibus que tem que ser feita. Ele será financiado com impostos logo, não é grátis. No BRASIL qualquer coisa que seja estatizada corre o sério risco de ter desvios de verba pública então é melhor uma boa concessão com regras interessantes e competitivas sem monopólios como ocorre hoje que garanta uma livre concorrência um teto máximo de preço mais deixando livre as empresas para cobrar menos assim o transporte vai melhorar e o dinheiro vai direto para as empresas para que possam inovar e contratar mão de obra gerando assim empregos tornando o governo menor mais eficiente e menos inchado como é o nosso hoje! A ideia é excelente reduziria muito os custos mas precisa estar na mão da iniciativa privada! Pois, nosso querido governo mal da conta de saúde e educação não vai dar conta de transportes!

    • Sabemos que não existe um “grátis”, sempre pagamos por um serviço de uma forma ou de outra. Mas imposto é dever, quando “pagamos” o imposto não estamos pagando por um serviço, estamos mantendo o país funcionando, se isso funciona da forma correta no Brasil já são outros quinhentos. O fato de não ter uma taxa a mais para o uso desse ônibus faz dele gratuito sim, do certa forma. E quando a privatização, eu não teria tanta certeza, desde que o metro do Rio de Janeiro foi privatizado o serviço só fez piorar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *