Árvores conversam entre si, detectam perigos ao redor e ajudam as plantas mais velhas a se alimentar, garante estudo

Árvores conversam entre si, detectam perigos ao redor e ajudam as plantas mais velhas a se alimentar, garante estudo
01 nov 2016

As árvores têm amigos, sentem-se solitárias, gritam de dor e se comunicam por debaixo da terra via woodwide web. É o que afirma o engenheiro florestal Peter Wohlleben, no livro recém-lançado The Hidden Life of Trees (A Vida Oculta das Árvores, em português).

Segundo Wohlleben, algumas árvores agem como pais das outras e como boas vizinhas. Outras fazem mais do que projetar sombras: elas são verdadeiras defensoras contra espécies rivais. As mais novas correm riscos na ingestão de líquidos e na queda das folhas – e então mais tarde se lembram dos erros cometidos.

Certamente, sua próxima caminhada no parque será diferente, se você imaginar que embaixo dos seus pés as raízes das árvores estão crepitando com um bate-papo cheio de energia! O autor acredita que nós não sabemos nem metade do que está acontecendo debaixo da terra e das cascas das árvores: “Nós estamos olhando para a natureza há mais de 100 anos como se ela fosse uma máquina”, argumenta.

Wohlleben – sobrenome que, coincidentemente, quer dizer “viver bem” – desenvolveu seu pensamento ao longo da última década, enquanto observava o poderoso, e interessante sistema de sobrevivência da floresta de faia antiga, que ele gerencia nas montanhas Eifel, na Alemanha. “A coisa que mais me surpreendeu é quão sociais as árvores são. Eu tropecei em um velho toco um dia e vi que ainda estava vivo, embora tivesse 400 ou 500 anos, sem qualquer folha verde. Todo ser vivo precisa de nutrição. A única explicação é que ele foi mantido com uma solução de açúcar dada pelas árvores vizinhas, a partir de suas raízes. Como engenheiro florestal, eu aprendi que as árvores são concorrentes que lutam umas contra as outras, pela luz, pelo espaço, e ali eu vi que acontece o contrário. As árvores são muito interessadas em manter todos os membros de sua comunidade vivos”.

A chave para isso, ele acredita, é a chamada woodwide web (numa alusão à rede mundial de computadores, a worldwide web). Quando estão sob ataque, as árvores comunicam sua angústia para as outras a seu redor emitindo sinais elétricos a partir de suas raízes e de redes formadas por fungos (algo que se assemelha ao nosso sistema nervoso). Pelos mesmos meios, elas alimentam árvores atingidas, alimentam algumas mudas (seus “filhos mais amados”) e restringem outras para manter a comunidade forte.

“As árvores podem reconhecer com suas raízes quem são suas amigas, quem são seus familiares e onde estão seus filhos. Elas também podem reconhecer árvores que não são tão bem-vindas”, ele explica. Na análise de Wohlleben, é quase como se as árvores tivessem sentimentos e caráter. “Nós pensamos que as plantas são robóticas, seguindo um código genético. Plantas e árvores sempre têm uma escolha sobre o que fazer. As árvores são capazes de decidir, ter memórias e até mesmo personas diferentes. É possível que existam os mocinhos do bem e os do mau”, completa.

O livro The Hidden Life of Trees, What They Feel, How They Communicate, de Peter Wohlleben, foi publicado pela editora Greystone Books e está disponível em alemão e inglês.

Imagem: Peter Wohlleben



Eco Rede Social
Eco Rede Social

A Eco Rede Social tem como missão estimular, disseminar, compartilhar e realizar ações transformadoras que contribuam para o desenvolvimento pessoal e da sociedade na direção da ética, desenvolvimento humano e da sustentabilidade. Uma plataforma que converge artigos, atividades de financiamento coletivo, livros, cursos, palestras, consultoria e relações internacionais, promovendo as condições necessárias para que o maior número de pessoas com os mesmos objetivos, possam realizar seus projetos.

Observações

  1. Isso que dá fumar orégano estragado.

  2. veganos e vegetarianos vão ter que viver de luz agora

  3. Eu já ia dizer, sem nem ler a matéria, que as árvores até emprestam açúcar à vizinhas. E depois de ler a matéria, percebi que minha inteligência é maior do que eu imaginava.
    Vejamos um trecho da matéria:
    “Eu tropecei em um velho toco um dia e vi que ainda estava vivo, embora tivesse 400 ou 500 anos, sem qualquer folha verde. Todo ser vivo precisa de nutrição. A única explicação é que ele foi mantido com uma solução de açúcar dada pelas árvores vizinhas, a partir de suas raízes.”

    E eu já sabia disso sem nem precisar pesquisar!

  4. Mesmo que muitos humanos não saibam serem Criadores e não criaturas, os Animais, Vegetais e Minerais sabem muito bem e cumprem com suas missões, onde a maior dificuldade é o próprio ser humano…

    • Zilda Nascimento Diz: novembro 4, 2016 at 10:21 pm

      Tenho o mesmo pensamento.

    • A natureza tá a serviço do Senhor

    • Maria Elizabeth de Azevedo Diz: julho 26, 2017 at 2:40 am

      Sabedoria e respeito ao outro e à Natureza é um dos princípios que denotam inteligência superior aos seres que transitam pela vida simplesmente por existirem sem propósito , sem observar tanta beleza, tantos ensinamentos. Vivem por viver : seres pensantes rastejantes? Um dia a vida ensina, pois lembrem que a natureza é feminina e quando se vinga nossa….
      Parabéns Celito Medeiros!

  5. Dorgas Mano Diz: novembro 3, 2016 at 10:17 pm

    dorgas, mano…

  6. Hanz Alisson Diz: novembro 3, 2016 at 10:32 pm

    Se ele fosse biólogo eu daria algum credito a sua formulação, mas como é engenheiro florestal, sua formulação não passa de opinião.

  7. Titão pé de mesa Diz: novembro 3, 2016 at 11:23 pm

    Que esse doido fumou?

    • Florestas virgens Brasileiras gemei chorai rugir de dor não canta mais nas ribanceiras o sabiå o rei cantor,do proprio solo era aplaudida a voz triunfal com toda a glória no procenio hoje é todo Imortal

    • Florestas virgens Brasileiras gemei chorai rugir de dor não canta mais nas ribanceiras o sabiå o rei cantor,do proprio solo era aplaudida a voz triunfal com toda a glória no procenio hoje é todo Imortal

  8. Putz, eu acabei de assistir ao filme Fim dos Tempos, onde ocorreu uma espécie de ataque das árvores (emitindo uma toxina no ar, matando as pessoas) porque elas estavam se sentindo ameaçadas. Desliguei a TV, liguei o pc, acessei o UOL e vejo essa matéria no site…..

    • Darlene Ribeiro Diz: novembro 4, 2016 at 10:21 am

      nossa q conscidencia Fabrício,vc me fez lembrar anos atras qd fui ao cinema assitir O DIA SEGUINTE,e ao sair do cinema,pareci continuação do filme,estava a maior tempestade la fora,ventos fortíssimos levando placas pelos ares e eu de tão magrinha tb sendo levada pelo vento,tive q me segurar um poste para não voar,nunca mais esqueço desse dia.Mas qt ao materia eu acredito nisso,pois tenho uma variedade de plantas e arvores frutíferas no meu quintal,e sempre fui muito observadora.

    • hhahahahahhahahahahahahahahhahahahah

  9. ““Nós pensamos que as plantas são robóticas, seguindo um código genético. Plantas e árvores sempre têm uma escolha sobre o que fazer”.

    Ora, é o código genético delas que faz elas se comportarem assim. É inato. Tudo que é inato está no DNA. A possibilidade de “decidir” é programada, também. Tem gente que “viaja” quando vê algo de forma diferente e acha que esse diferente é algo à parte da programação. Não é. Tudo está na “programação celular”.

  10. Esse cara assistiu “Avatar” demais!

    Sério? Vocês chamam isso de notícia?

    kkk

  11. Meu deus, cada um com sua loucura! Ou será estratégia para vender livros para loucos? Pode se tornar uma nova religião…

  12. Espetacular! Só falta provar o que está falando….

  13. Luiz Renato Fogagnolo Diz: novembro 4, 2016 at 1:53 am

    Naturalmente existe alguma explicação espírita para isso

  14. achei muito bacana e interessante a matéria, estão de parabéns!

  15. Josh Ammong Diz: novembro 4, 2016 at 3:22 am

    Que viagem!
    Plantas não tem sistema nervoso central interligado à um cérebro, logo não tem senciência, que é a capacidade de sofrer ou sentir prazer ou felicidade. O que já está provado cientificamente e estudado é que elas tem sensores que fazem tudo que esse pesquisador falou. Estes sensores são acionados de acordo com o ambiente em que elas estão vivendo, arvores próximas, ataques de fungos, etc. Nada novo, ele apenas colocou tudo em outras palavras e deu uma romantizada.

  16. Afonso Cardoso Diz: novembro 4, 2016 at 3:27 am

    Eu sempre pensei nisso e acho completamente crível. O livro deve ser muito interessante. Parabéns ao pesquisador.

  17. Que reportagem bonita, faz a gente refletir sobre o mundo que vivemos e não temos o menor respeito pela vida em geral…!

    • Adalberto Scaio Diz: novembro 10, 2016 at 5:35 am

      Pior de tudo, Ivan,é ver humanos, finitos, que não vão durar mais que 75/80 anos,frágeis, que na maior parte do tempo e da vida não conhecem nem o próprio corpo, infinitamente inferiores à maioria de outra espécies, sem respeito algum com a natureza, que de nós não depende e não sentiria falta alguma se nos extinguissemos, zombando da visão do outro e se considerando donos da verdade em nome da ciência!

  18. Fumar muita erva da nisso aí.

  19. Márcia Freitas Siekmann Diz: novembro 4, 2016 at 9:21 am

    Ótima possibilidade… Nós, humanos, somos prentenciosos quanto a supremacia da inteligência e de todo o arcabouço de sentimentos, emoções… Tenho um jardim e nele observo aspectos da incrível inteligência e sentidos das plantas.

  20. Quando eu ler o artigo científico com materiais e métodos, resultado e discussão, associados com um biólogo especializado provando concretamente essa tese, eu aceito a ideia, enquanto isso não acontece, pra mim não passa de especulação.

  21. liliane aparecida alves Diz: novembro 4, 2016 at 9:08 pm

    QUE LEGAL!! GOSTEI DA MATÉRIA!!

  22. Adorei esta página! O novo sempre traz controvérsia. Apesar de que o que ele fala pra mim não é novo, sempre suspeitei disto.

  23. Conheço pessoas que conversam com suas planntas porque, dizem, crescem melhor…

  24. Evandro Medeiros Diz: novembro 5, 2016 at 10:19 am

    Sempre pensei que árvores gigantes, seculares e majestosas são seres que guardam “ancestralidade”.
    .
    Isso pode ter vários sentidos, pode ser a ancestralidade espiritual para povos tribais ou, para um cientista moderno, a ancestralidade genética do ecossistema onde se encontra.
    .
    Imagina quanta sabedoria/informação guarda uma árvore de 100, 200, 500 anos!!
    .
    De qualquer forma uma árvore gigante e secular não é um ser qualquer e muito menos um pedaço de pau, que pode ser cortado a qualquer tempo e vendido como mercadoria por mixaria… ou mesmo apenas ser cortada e queimada para deixar tudo “mais limpo e bonito”.
    .
    Essa forma desprezível de pensar é o que orienta o imaginário capitalista e do homem pobre de inteligência. É possível vê um pouco dessa excrescência nos comentários da reportagem.
    .
    A reportagem por certo não quis ser um texto acadêmico-cientifico, mas narrar a experiência de alguém e sua produção literária. Compra quem quer, lê quem quer. Pra quê transformar isso num palco de esculacho das idéias alheias?
    .
    Esse mundo ta perdido mesmo… Por isso, muitas vezes e quase smepre, prefiro as crianças, cães e árvores.

    • Adalberto Scaio Diz: novembro 10, 2016 at 5:50 am

      Assino embaixo com cpf e rg e assinatura reconhecida em cartório, se preciso for!
      O ser humano é uma espécie nitidamente inferior, se comparado a outras que duram 400 anos, ou até mil como é o caso de algumas árvores européias! Ser frágil, finito, arrogante, mas que talvez justamente devido a essa fragilidade e finitude toda precise se auto afirmar para não sucumbir à própria insignificância! Do contrário, talvez enlouquecesse de vez ao se dar conta que é algo minúsculo, uma partícula diante de sistemas infinitamente maiores!
      Nosso sol é uma estrela de quinta grandeza, ou seja, um graozinho se comparado a uma de primeira grandeza, e o que sobra para a terra se colocada ao lado de uma estrela dessa magnitude! Um pozinho! O ser humano? Um vírusinho insignificante! QUANTA arrogância, quanta mesquinhez! Se sumissemos todos hoje,não faríamos falta alguma para a terra e a natureza!

    • Gilda Brêtas Diz: julho 24, 2017 at 8:31 pm

      Isso aí!

  25. Depois de ler essa reportagem,sinto-me mal ,só de pensar nos galhos que cortei, nas vezes que deixei de aguar as plantas e tbm no grande sofrimento das árvores da floresta Amazônica ao som das serras elétricas ,quando se aproximavam com a lâmina assassina ,arrasando as pobres árvores !Poxa ,como somos egoístas,nem pensamos nos seres vivos de outras espécies.Lamento.

  26. Iaci Morata Martines Diz: novembro 6, 2016 at 6:11 pm

    Concordo plenamente. As árvores são realmente seres muito especiais.Certa vez ganhei dois pequeninos Ingás do SOS Mata Atlântica e cuidei deles até crescerem e necessitarem de um pedacinho de chão. Percebi nitidamente o pedido de ambas para sair do vaso. Consegui arranjar um local muito especial e hoje estão crescendo muito contentes.Parabéns pelo trabalho! Abs, Iaci

  27. Adalberto Scaio Diz: novembro 10, 2016 at 5:53 am

    Pior de tudo é ver humanos, finitos, que não vão durar mais que 75/80 anos,frágeis, que na maior parte do tempo e da vida não conhecem nem o próprio corpo, infinitamente inferiores à maioria de outra espécies, sem respeito algum com a natureza, que de nós não depende e não sentiria falta alguma se nos extinguissemos, zombando da visão do outro e se considerando donos da verdade em nome da ciência!

  28. Júlio Almeida Diz: novembro 15, 2016 at 12:40 am

    Sinto muito por esses que esperam respostas ‘científicas’, provas irrefutáveis… desta ‘sabedoria suprema e centralizadora’ da ciência não vos virão novas verdades, apenas ‘más de lo mismo’… e é tão simples, tão natural quanto a própria natureza, contemplar o espírito vivo das plantas, suas estratégias de vida, cooperação, simbiose com todo os reinos: humano, animal, mineral, vegetal e as entidades da natureza. Para ficar no óbvio, enquanto precisamos de outros seres para sobreviver na tal ‘cadeia alimentar’, os vegetais elaboram sua energia a partir da própria luz… um dia ainda chegaremos lá, mas para isso é preciso evoluir bastante e, parte importante dessa evolução, está em reconhecermos que inteligência prescinde de neurônios e sistema nervoso central.
    Falei, ahô..

  29. Jack Bouer Diz: julho 22, 2017 at 8:10 pm

    Somente as árvores grandes conversam. As pequenas ainda são mudinhas……

  30. GRATIDÃO

  31. Carlos Campos de Raphael. 27.07.2017.
    “As estrelas conversam entre si. A alma dos sóis responde ao suspiro das flores. A corrente da harmonia faz todos os seres da natureza se harmonizarem entre si”… (‘Nuctemeron’. Oitava Hora). Toda manifestação no Universo provém de partículas inteligentes, emanadas do Supremo Criador, que interagem entre si, cumprindo sua destinação em benefício do Todo… Tão-somente o ser humano permanece alheio a isso, devido ao intelecto que o mantém isolado e separado dessa rede cósmica de comunicação, até que desperte para o propósito divino por trás de sua própria existência… (Campos de Raphael).

  32. Helias Caneto Diz: outubro 15, 2017 at 8:37 pm

    O que as pessoas inventam para vender livros ?
    Pensando bem, acho que também as pedras conversam umas com as outras … vou escrever um livro sobre isso !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *