Animais que seriam sacrificados por comportamento violento são adestrados por presidiários

Animais que seriam sacrificados por comportamento violento são adestrados por presidiários
20 ago 2015

Esta é daquelas ideias simples, mas que fazem uma diferença imensa na sociedade! No Estado de Geórgia, nos EUA, o projeto Jail Dogs (Cães de Cadeia, em português) está salvando, ao mesmo tempo, a vida de presidiários e animais que estavam condenados ao Corredor da Morte no Centro de Zoonoses da região.

Como? A gente explica! O projeto está ensinando aos presos a arte do adestramento de bichos, utilizando como “modelos vivos” os cães e gatos do Centro de Zoonoses que já estavam com data marcada para serem sacrificados por apresentar comportamento violento.

Os animais que participam do projeto passam exatas 12 semanas “morando” no presídio do Condado de Gwinnett com os presos, que também ficam responsáveis por todos os cuidados básicos dos bichinhos – como higiene e alimentação.

Ao fim do processo, nada de voltar ao Corredor da Morte! Os animais, que foram adestrados pelos presos, são encaminhados para adoção para serem reinseridos na sociedade. Assim como os presos, que ganham uma oportunidade de se recolocar no mercado de trabalho ao aprender uma nova ocupação profissional. Segundo o Jail Dogs, muitos deles estão sendo contratados por clínicas veterinárias e pet shops quando terminam de cumprir pena. Não é legal?

Ao mesmo tempo, o projeto recupera dois grupos discriminados e considerados “casos perdidos” por grande parte da sociedade: os animais violentos e os presidiários. Nós amamos o projeto e você?

Foto: Divulgação/Jail Dogs


Share

Débora Spitzcovsky
Débora Spitzcovsky

Débora Spitzcovsky é jornalista, formada pela Universidade Metodista de São Paulo e, desde o início da carreira, atua na área da sustentabilidade. Atualmente, é analista de comunicação sobre o tema na Duratex

Observações

  1. clarion martins Diz: agosto 21, 2015 at 10:33 pm

    Muito interessante…eu resgato pit bulls…depous de humanizados,ponho pra adoçao…tbm ja faço palestras.em escolas…pra orientar como se deve ter um pit em casa.

  2. […] (via The Greenest Post) […]

  3. Uma ideia muito boa , que devemos sem duvidas por em pratica aqui em nosso Brasil .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *