Alemanha vai acabar com prazos de validade nas embalagens para reduzir desperdício de comida

Alemanha vai acabar com prazos de validade nas embalagens para reduzir desperdício de comida
04 jan 2017

Cerca de ⅓ de todo alimento produzido no mundo é desperdiçado. Só na Alemanha estima-se que, por pessoa, 82 quilos de comida em perfeito estado são jogados fora todos os anos. Por isso o Ministério do Alimento e Agricultura está substituindo as antigas datas de validade impressas nas embalagens por uma embalagem moderna e inteligente, que muda de verde para vermelho quando o alimento fica ruim para consumo.

Poucas pessoas sabem, mas ter a data de validade passada não quer dizer, necessariamente, que o alimento não pode mais ser consumido. A data de validade representa apenas o período onde o gosto, cheiro, cor, consistência e valor nutricional permanece o mesmo que quando fabricado. Se algumas mudanças mínimas acontecerem nos valores nutricionais, não significa que o produto está estragado.

Esse mal entendimento da data de validade causa um grande desperdício, que o governo da Alemanha quer reduzir por meio da tecnologia.

A tecnologia tem muito a oferecer para essa missão. Lembra do aplicativo que vende alimentos (em bom estado!) que sobram dos restaurantes com até 80% de desconto? Tem um outro app que alerta voluntários quando há doação de comida próximo a eles para levar a moradores de rua. Falta de ferramenta não é mais desculpa!

Foto: Wilfredorrh/ Creative Commons


Share

Jéssica Miwa
Jéssica Miwa

Mãe do Gael, Googler, jornalista e cofundadora do The Greenest Post. Acredita em pequenas ações que podem mudar o mundo.

Observações

  1. Nossa, que legal essa invenção!

  2. Maravilhosa notícia!
    #MenosDesperdício

  3. Cansei de comer alimento com a data de validade vencida impressa na embalagem.
    Sempre soube que as datas eram apenas uma segurança para os consumidores, mas já usei produto com mais de um mês supostamente vencido.

  4. jose da silva pereira Diz: janeiro 7, 2017 at 8:25 pm

    A Alemanha esta certíssima,só aqui no Brasil é que existe esta imbecilidade de comida e remédios vencidos.E o povo brasileiro também é muito burro em acreditar em uma mentira desta.

    • João Santiago Diz: janeiro 10, 2017 at 4:58 pm

      Errado. Existe em todo o mundo. Não é só no Barasi.

    • ESSE JOSÉ É UM EXAGERADO. SEMPRE A FRASE “SÓ NO BRASIL”. A DATA DE VALIDADE NOS PRODUTOS NÃO É PRIVILÉGIO SOMENTE DO BRASIL. EXISTE INCLUSIVE NA ALEMANHA QUE AGORA É QUE ELES QUEREM MUDAR. PODEMOS FAZER O MESMO NUM FUTURO PRÓXIMO SEGUINDO A EXPERIÊNCIA ALEMÃ.

  5. Legal a invenção, porém não deixa de ser importante ressaltar que a afirmação “A data de validade representa apenas o período onde o gosto, cheiro, cor, consistência e valor nutricional permanece o mesmo que quando fabricado” não é inteiramente correta. Tem uma quantidade enorme (mesmo) de alimentos que na estimativa do cálculo da “data de validade” está incluso fatores como interações do alimento com sua superfície de contato – a embalagem (como no caso de enlatados) ou até fatores como segurança microbiológica, pois o alimento deve ser microbiologicamente seguro e visualmente adequado, analise semelhante a utilizada para parâmetros de qualidade de água, dado a complexidade dos indicadores dos alimentos (sim, inspeção visual é um fator primordial em alguns tipos de alimentos). Inspecionar queijos, por exemplo, basta um bom “nariz” e bons olhos pra saber se está adequado. Concordo que na GRANDE MAIORIA dos alimentos a data de validade não corresponde ao período no qual o alimento pode consumido de maneira segura. Entretanto, em casos como enlatados (principalmente os que foram mal preservados), laticínios não pasteurizados, carnes de abate frescas, aves com bastante MIS, peixes, ovos, queijos frescos, entre muitos outros – favor pesquisar quem se interessar, tem muita literatura – a data de validade representa e MUITO a segurança em se consumir tal alimento. Deveria estar bem claro a divisão: “consumir ATÉ XYZ”, ou seja, se consumir após XYZ tem risco de infecção alimentar e “consumir preferencialmente antes de XYZ”, algo que se encaixaria na definição utilizada pela autora da matéria (“período onde o gosto, etc”).

  6. Roberto Dias Diz: janeiro 9, 2017 at 9:09 am

    No Brasil o desperdício não está na embalagem, mas em quase toda cadeia de produção, desperdiçamos na colheita, transporte, armazenagem e até na falta de planejamento, vejam o exemplo atual do tomate, precisamos administrar melhor nossos recursos, somos pobres por relaxamento.

  7. Principalmente quando um supermercado, por economia, não refrigera o suficiente produtos congelados, vai água abaixo qualquer data de Validade.

  8. Decisão muito inteligente.

  9. Muito bom. Se comer e não tiver uma gastrenterite ou morrer, é porque estava bom. Ok…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *