Virou lei! Carros não poderão mais transitar no Minhocão

Virou lei! Carros não poderão mais transitar no Minhocão
11 ago 2014

Atenção, “carrodependentes”! A notícia que daremos a seguir pode causar emoções fortes: o Elevado Costa e Silva, popularmente conhecido como Minhocão pelos paulistanos, está prestes a se livrar para sempre dos veículose possivelmente virar parque.

É o que manda o novo Plano Diretor Estratégico de São Paulo, sancionado pelo prefeito Fernando Haddad. O artigo 375 do documento não deixa dúvidas: “Lei específica deverá ser elaborada determinando a gradual restrição ao transporte individual motorizado no Elevado Costa e Silva, definindo prazos até sua completa desativação como via de tráfego e sua demolição ou transformação, parcial ou integral, em parque“.

Construído na década de 1970, o Minhocão foi a solução carrocentrista que o governo de São Paulo encontrou para desafogar o trânsito entre a região central da capital paulista e a zona oeste. Atualmente, o gigante cinzento (quem anda por lá sabe que falta verde e sobra concreto no local) fica 100% fechado para veículos apenas aos domingos (e, agora, também aos sábados a tarde), quando a população pode, finalmente, ocupar a rua – que é dela por direito.

Piqueniques, passeios de bike e manifestações culturais, entre outras atividades, dão vida ao Minhocão no fim de semana. Pelo visto, agora, essa festa vai durar a semana toda. O Plano Diretor não especifica datas, mas já é uma conquista que ele exija o fim dos carros no Elevado Costa e Silva.

Vai torcer para o Minhocão virar parque ou ser demolido?

Foto: Preliminares 2013/Creative Commons



Redação
Redação

Também quer ver seu texto publicado no The Greenest Post? Entre em contato com a gente pelo e-mail colabore@thegreenestpost.com!

Observações

  1. Adriana Cabrera Cuscan Diz: maio 8, 2015 at 9:15 am

    Acredito que o problema da falta de áreas verdes na região central da cidade de SP não se dê pela construção do Minhocão, mas sim por uma falta de planejamento público desde que a cidade começou a desenvolver-se como metrópole. E podemos assistir até os dias atuais que o índice de m2 verde na cidade por habitante ainda não corresponde às exigências determinadas pela ONU.
    A ideia de gerir sob o Minhocão um parque é bastante louvável. No entanto, faz-se necessário que tal ideia não fique limitada à gestão atual. Seria muito triste saber que deixaremos de utilizar uma das vias mais eficientes da capital para locomoção, que liga zonas tão carentes de ligações rápidas, que se tornará em alguns anos um local inóspito e abandonado.
    Vale lembrar que a High Line de Nova Iorque é um modelo plausível porque se tornou um atrativo turístico bonito e seguro!

  2. O minhocão facilita a locomoção pelos bairros do centro da capital, fazendo com que se ganhe bastante tempo no trajeto pela caótica região. Considerando-se que há ali um grande número de pessoas que circulam por motivo de trabalho, tirar a ÚNICA via de acesso rápido não é uma ação inteligente. Entretanto, se o plano diretor incluir revitalizar o centro e viabilizar moradia para atraía-la a quem trabalha no centro, talvez o minhocão tenha menos utilidade do que atualmente. Mas, o que temos visto é empreendimentos frustrados, ou seja, sem interesse de compra, pois simplesmente construir edifícios novos e modernos em uma área devastada pelo descuido público e violência, não condiz com o que as pessoas buscam.
    Assim, a transformação do minhocão em área livre para pedestres ou em um parque ou em qualquer outra utilidade pública deveria ser uma das etapas finais de readequação da região central. Isso se se conseguir diminuir o fluxo diário de pessoas que se deslocam para o centro para trabalhar.

  3. Até aqui, as postagens a partir das declarações prestadas na matéria, dizendo do estágio em que se encontram as próximas etapas, aparecem com grande respeito e contendo sugestões e expectativas honestas e consideráveis. A questão, talvez mais importante.mencionada é a de que o desenvolvimento desse projeto deva considerar a característica da continuidade administrativa, para que não se perca tempo e dinheiro como de costume até hoje. Um administrador tem de considerar os feitos pelo seu antecessor para evitar despeedício e corrupção. Está mais do que na hora de se respeitar planejamentos realizados de uma gestãoara outra gestão!

  4. domingos Fontan Diz: agosto 23, 2017 at 9:20 am

    Depois de viver mais de 70 anos na “minha cidade de São Paulo” tenho todo direito de opinar sobre essa excrescencia que surgiu em 1970, uma obra faraonica do ex prefeito Paulo Maluf, chamado primeiramente de elevado Presidente Costa e Silva, e posteriormente Elevado João Goulart e popularmente Minhocão. Fez para desafogar (em tempos de não congestionamento de automoveis)e, passado mais de 47 anos de existencia, ja deveria ser demolido a muito tempo, Pois virou um trambolho , um verdadeiro caos no transito.( ja este deveria ficar fora do atual rodizio)e sim apos as Marginais.E fora isto, todos os elevados aqui em São Paulo, alem de serem de um aspecto terrivel para a visão de estrangeiros, turistas , depoem tambem sobre a custo dos imoveis que estão ao lado.
    Portanto, elevados, os altos elevados do Metro(metro sempre embaixo da terra) e vaos no final da Via Anchieta com a Avenida do Estado, e varios outros nos dão um aspecto terrivel.Domingos Fontan

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *