1ª rede de fast food 100% vegetariana do mundo é brasileira e já tem lojas no RJ e SP

1ª rede de fast food 100% vegetariana do mundo é brasileira e já tem lojas no RJ e SP
07 jul 2017

Conseguir dinheiro para viajar para a Bahia. Foi com essa motivação que o carioca Raphael Krás fundou, em 2006, o primeiro fast food 100% vegetariano do mundo.

No início, os lanches eram vendidos nas areias da praia de Ipanema. Raphael oferecia aos clientes hambúrgueres feitos a base de soja, feijão, inhame, quinoa com batata doce, beterraba e mix de grãos. E fez sucesso! Tanto que decidiu abrir sua primeira franquia no Rio de Janeiro (depois de fazer sua tão sonhada viagem para a Bahia, claro!).

Com o nome de Hareburger, a rede de fast food vegetariana já soma cerca de 10 lojas no Estado fluminense e, para comemorar sua primeira década de sucesso, chegou também à cidade de São Paulo, no bairro de Pinheiros. A inauguração será em breve!

No cardápio, diversas opções de hambúrgueres vegetarianosno prato e no pão -, além de acompanhamentos, bebidas e sobremesas bastante originais – como banana chips, chá de flor e milkshake a base de açaí e baunilha. Tudo integral, sem glúten e/ou vegano. E com muito sabor e saúde!

Ainda tem dúvidas? Põe o Hareburger no seu roteiro quando estiver por São Paulo e Rio de Janeiro e nos conte o que achou!

Foto: Divulgação


Share

Débora Spitzcovsky
Débora Spitzcovsky

Débora Spitzcovsky é jornalista, formada pela Universidade Metodista de São Paulo e, desde o início da carreira, atua na área da sustentabilidade. Atualmente, é analista de comunicação sobre o tema na Duratex

Observações

  1. Maria Helena Apolinário. Diz: julho 9, 2017 at 6:36 am

    Parabéns !!! .amei está notícia .

  2. cristiane Diz: julho 9, 2017 at 12:51 pm

    Raphael e equipe, parabéns pelo feito! Fiquei tão feliz ao saber disso, agora, q enviarei p todos os meus contatos. Mas… vcs pensam em abrir filiais no Nordeste? Sou do Recife, onde o vegetarianismo/veganismo tem aumentado. Temos bons restaurantes do gênero. Mas o seu fast food ajudaria muito a propagar mais a ideia e, assim, angariar mais defensores dos direitos dos animais. Mais sucesso ainda p vcs!

  3. VENHA PRA MACEIÓ PELO AMOR DE DEUSS, AGUENTAMOS MAIS UM UNICO RESTAURANTE VEGETARIANO AQUII

  4. Gostei da ideia, mas não entendi o significado palavra Hare, para hambúrguer?
    Desculpe a ignorância, mas gostaria de saber por curiosidade, visto que no site não tem a explicação.

  5. Não localizei a de SP. Alguém pode me ajudar?

  6. Bom dia, existe opção de bebidas sem açúcar, também?!

  7. Já foi a época em que Hare Burguer era gostoso! rs

  8. Robson Sena Diz: julho 10, 2017 at 2:32 pm

    A primeira vez foi ruim. Demorou demais, caro e sanduíche pouco saboroso. O que comia na praia era mais gostoso. Não pretendo voltarei.

  9. Finalmente kk agora só vir pra Baixada santista -SP

  10. Como faço para ser franqueado?

  11. Passo….

  12. As avaliações são péssimas… mais uma idéia boa com administração ruim.
    É uma pena.

  13. Nilsa Gorey Diz: julho 18, 2017 at 3:57 pm

    Continuo com um peh atras… Quero saber se esse tal de HareBurger GARANTE a inexistencia de SOJA na feitura de seus produtos. Soja eh perigosissimo pra saude; aqui em cima (EUA e Europa) fugimos de soja como o diabo foge da cruz!…

  14. existem várias informações equivocadas nesse texto!

    1) o hare burguer não é a primeira rede de fast food vegetariana do mundo
    2) pra ser considerado 100% vegetariano, teriam que parar de utilizar derivados de leite e ovos
    3) o trecho que diz que é tudo integral, sem glúten e/ou vegano também não se aplica à rede

    tomem mais cuidado na hora de elaborar matérias para não informar errado as pessoas

    • Moa Peraccini Diz: julho 22, 2017 at 6:00 am

      “pra ser considerado 100% vegetariano, teriam que parar de utilizar derivados de leite e ovos”

      Luís, essa declaração é equivocada, à exceção dos ovos, porque no uso do leite não há o sacrifício de vidas de animais, o que é a base do vegetarianismo.
      No uso de ovos de granja também não há esse sacrifício, pois a postura de ovos pelas galinhas é feita com o uso de hormônios, sem que galos o fertilizem, o que ocorre com ovos de sítios e fazendas onde ambos convivem juntos.

      Essa regra extrema de não se usar absolutamente NENHUM produto que tenha a exploração de animais – incluindo o leite, pela exploração das vacas e o sacrifício do alimento dos bezrros; o mel, pela exploração do trabalho das abelhas; e couros, pelo sacrifício da vida de animais para o uso de suas peles – é usada entre os VEGANOS.

      Procure se informar melhor antes de contribuir com informações equivocadas, levando outras pessoas ao erro.
      Abraços veganos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *